sexta-feira

Quiropraxia é nº 1 no BMX

       Em artigos anteriores relatamos o importante papel da quiropraxia em um dos mais famosos eventos esportivos da modalidade ciclismo, o Tour de France. Um ótimo artigo publicado em nosso site e que posteriormente foi reproduzido na REVISTA BICICLETA, uma revista de grande repercussão nacional.

       A idéia deste nosso novo artigo é baseada no trabalho que realizamos com os atletas da modalidade BMX. Mencionaremos estudos científicos e fatos curiosos da junção do atleta praticante do BMX e do quiropraxista desportivo.       
     Um estudo realizado por Clark Ryan Konczak e publicado em 2010 no Journal Chiropractic Canadian Association promoveu uma pesquisa no Campeonato Mundial de BMX sobre qual abordagem terapêutica era utilizada pelos atletas (n=110) e quais locais de lesões mais acometidos durante os treinos e competições.

          Quando a amostra comparada por indivíduos procurando tratamento por locais de lesões como tronco/coluna a quiropraxia foi 84% mais utilizada que a fisioterapia e que a massagem 16% de procura cada.

     Os resultados mostraram também que atletas de idade entre 18-26 anos (n=63) a quiropraxia é a abordagem mais utilizada com 59%, massagem 22% e fisioterapia 19%.
Com a amostra total dos atletas do BMX verificou-se que a procura pela quiropraxia apontou 64%, fisioterapia 23% e os outros 23% pela massagem.
     As regiões de queixa dolorosa mais acometida foram membros inferiores, tronco e membros superiores. Estes dados foram coletados no Campeonato Mundial de BMX integrado com a União de Ciclismo Internacional.


Embora o estudo tenha sido realizado no ano de 2007 já temos alguns anos anteriores em que a quiropraxia acompanha os atletas do BMX em eventos. Um exemplo é o Dr. Mike Dorausch, e como mostra as imagens promove estes atendimentos por mais de uma década em atletas como Ryan Nyquist, Ricard Laguna, Ryan Guettler e muitos outros. Dr Dorausch acompanha os atletas em muitas viagens e competições.
       
Dorausch: o trabalho realizado no evento de BMX - Big Air 

    Na foto à esquerda, Greg sentado na maca de quiropraxia usada durante o evento. Ele foi ajustado duas vezes no sábado, antes e depois da prática e duas vezes no domingo. Uma vez  no início do dia, e uma vez antes de ir para o concurso Big Air. Greg estava em grande forma.
      Sobre o seu tratamento quiroprático (e de outros atletas) o que fizemos: Primeiro, definimos o Atlas. Antes mesmo de Greg começar a praticar no sábado, nós o avaliamos, e depois da palpação e verificação da amplitude de movimento (ADM) definimos o Atlas, o primeiro osso em seu pescoço. Trabalhamos ajustes torácicos, T6 - T8, ajustamos também sacro.

       Após um dia de prática no sixpack (os três conjuntos de saltos de terra construídas para a turnê deste fim de semana) temos Greg na mesa mais uma vez para o dia. Atlas estava restrito, mas também precisava de algum trabalho cervical inferior e torácicas foram ajustados de novo também. Suas pernas estavam cansadas ​​do dia, mas ele estava em grande forma geral.

Domingo à tarde, após cerca de uma hora de prática, verificamos Atlas e alinhamos a pelve, (Eu tinha acabado de terminar de ajustar Steven Murray, vencedor dos últimos anos de X-Games). Eu não sou um estranho por ajustar os pilotos antes e / ou após o concurso Big Air, embora eu prefira fazê-los ajustes antes, a fim de maximizar melhor o desempenho. Ajustamentos após são primeiramente dados a re-estabilizar o corpo. Esses caras estão batendo no chão, muitas vezes de 20 metros de altura ou mais alto, e pode ficar feio.

 Enquanto outros pilotos praticavam a suas habilidades de Big Air,  Greg entrou na tenda de pilotos para checar uma última vez. Percebemos que seus isquiotibiais foram bastante encurtados e suas pernas estavam bastante cansados ​​do andar que tinha feito no dia anterior e na manhã. Verificamos o Atlas e ainda estava bem restrito. Um trecho dos isquiotibiais  estava em ordem. Eu vi muitos pilotos de BMX com dificuldade de passar a fita porque eles não conseguiam trazer o pneu de volta para o alto o suficiente. Contagens de cada polegada de flexibilidade pode significar a diferença entre ir embora com uma sacola cheia de dinheiro ou ir para casa de mãos vazias.

Fizemos algumas séries de alongamento (minha versão de facilitação neuromuscular proprioceptiva) em isquiotibiais de Greg. Eu lhe dizia que ele estava mais preparado do que ninguém nesta competição para conseguir o "big air". Ele está em grande forma, ele tem boa flexibilidade, e ele tem um forte foco.

     Depois de três conjuntos de saltos só havia Greg e um outro piloto que partiu para o salto final. Os elevadores de tesoura foram levados para 19 pés e foi amarrado a fita toda. O primeiro piloto bateu a fita e tudo que Greg tinha que fazer agora era limpar o salto para ser o vencedor do concurso Big Air. Ele fez o salto com espaço de sobra e desceu um longo caminho para quase pousar em uma multidão de fotógrafos e curiosos abaixo. Greg Andreoli é um atleta campeão de BMX , é uma honra trabalhar com ele.

  

.

.

.

.

  © Blogger template ProBlogger Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP